Revisitar | Descobrir Guerra Junqueiro


Grémio Literário distingue trabalho sobre Junqueiro

É com satisfação que informamos que o Professor Doutor Henrique Manuel Pereira, Professor da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa (e investigador do Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes /CITAR/, bem como do Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa /CLEPUL), foi distinguido pelo júri do Prémio Grémio Literário com a atribuição de uma prestigiante menção honrosa relativa ao ano de 2016 pela obra Guerra Junqueiro e A Folha: Primícias lançada em coedição pela Tenacitas e Alforria.

“Temos entre mãos o trabalho exaustivo e definitivo que faltava em matéria de relações de Junqueiro com A Folha”, escreve o ensaísta e professor António Cândido Franco a propósito da obra, apontando Henrique Manuel Pereira como o primus inter pares dos três monumentos críticos que Junqueiro teve, sendo os outros Lopes de Oliveira e Amorim de Carvalho. Cândido Franco sustenta que “pelo trabalho rigoroso e apaixonado, pela atenção e pela persistência, que encontra sempre novos motivos de observação e de encanto, por tudo o que nos tem dado já, e tanto e tão continuado tem sido, a ponto de ser ele quem hoje num vasto círculo de entendidos melhor sabe do poeta, e por tudo o que ainda dele esperamos, e que tanto e tão alto pode ser, merece o organizador deste trabalho a gratidão de todos os que admiram e estudam Guerra Junqueiro”.

O Prémio Grémio Literário foi atribuído em sessão realizada no dia 18 de Abril, pelas 19 horas, no palacete do visconde de Loures, em Lisboa.

 

Anúncios


Prefácios e uma recensão; Junqueiro e A Folha: Ateneu Comercial do Porto

convite_tertulias_usar

Henrique Manuel Pereira [Org.], Guerra Junqueira e A Folha. Primícias. Seguido de Índice geral da revista. Porto: Alforria-Tenacitas, 2016.

Guerra Junqueiro, Prefácios e uma recensão. Organização, Introdução e Notas Henrique Manuel Pereira. Porto: Alforria-Tenacitas, 2016.



Guerra Junqueiro na lusofilia francesa

Na sequência de Guerra Junqueiro: Fragmentos de Unidade Polifónica, editado pela Cosmorama Editora, Guerra Junqueiro na lusofilia francesa: Traduções (poesia) é o mais recente trabalho de Henrique Manuel Pereira.

Editado com a chancela da Theya-Alforria, aqui se abordam, entre outros, autores como: Philéas Lebesgue, Maxime Formont, Achille Millien, Jules Supervielle, Fernand Lambert, Isabel Meyreles e Evelyne Kesteven.

Este texto, deliberadamente circunscrito às relações de Guerra Junqueiro com os lusófilos e tradutores franceses, é, antes de mais, um trabalho de arqueologia literária e um esforço de fixação de memória. Pretende desmontar a convicção vigente de que a figura e obra poética de Guerra Junqueiro nunca penetrou ou teve eco no meio cultural em França.

lusofilia1

lusofilia4



Guerra Junqueiro: Fragmentos de unidade polifónica

Henrique Manuel Pereira leva-nos em viagem diligente através da recepção de Junqueiro, criador literário de excepção, que, por entre aplausos e repúdios, provocou paixões veementes e foi catalisador de virtudes e vícios tipicamente portugueses.

Ao lado de páginas de documentação mal conhecida ou de todo ignorada e de luminosa hermenêutica textual, deparamos com a muito conveniente demolição de ideias feitas. (Luís Machado de Abreu)

Capa_GuerraJunqueiro_K_Prova_V2

Lançamento: 24 de abril

Apresentação por António Cândido Franco

UCP – Campus Foz . Auditório Carvalho Guerra



Guerra Junqueiro: Fragmentos de unidade polifónica

“Muitas são as vozes que, em diálogo, se fazem ouvir neste novo trabalho de Henrique Manuel Pereira.

Ao lado de páginas de documentação mal conhecida ou de todo ignorada e de luminosa hermenêutica textual, deparamos com a muito conveniente demolição de ideias feitas. Sempre em nome da restituição do rosto verdadeiro do homem e da herança literária que ele nos legou”.

Luís Machado de Abreu

.GuerraJunqueiro_K_Prova_V2



Junqueiro, Sena Freitas e Cruz Coutinho – Equívocos em cadeia
11 Fevereiro, 2015, 12:42 pm
Filed under: Alforria | Etiquetas: , , , ,

Junqueiro, Sena Freitas e Cruz Coutinho: Equívocos em cadeia, com a chancela da Alforria, é o mais recente trabalho de Henrique Manuel Pereira.

“Este é um livro que traz consigo o que é supremamente difícil trazer: o novo. Repete-se: traz o novo, não a novidade. A novidade é a aparência nova do antigo, é o “já sabido” vestido de outras roupagens, outros métodos, outros conceitos, outra ideologia; o novo é violento, rompe com consensos, impõe-se pela força da argumentação, dá um outro e diferente sentido aos textos antigos e obriga os livros já firmados, as histórias de literatura, a reverem os seus capítulos.” Miguel Real.

capa_equivocos_verm1-cópiaCaptura de ecrã 2015-02-11, às 11.21.16



Morena – Fados de Amor

A Música de Junqueiro, livro com CD duplo, editado pela Universidade Católica Editora.Porto, lançado em 2009, está desactualizado. Dizemo-lo com satisfação. Em A Música de Junqueiro reunimos tudo quanto, então, conseguimos encontrar de composições musicais criadas com base na poesia de Guerra Junqueiro.
Após isso, no Brasil, descobrimos, uma outra peça, “Morena”, musicada por Francisca Gonzaga. Como demos conta, gravamo-la no CD de Uma História Cómico-Marítima, sendo essa, a nossa conhecimento, a primeira gravação daquela composição musical.
Que encanto especial terá a “Morena” que Guerra Junqueiro publicou em A Musa em Férias, no remoto ano de 1879? A pergunta faz sentido, uma vez que foram vários os compositores que a musicaram: A. Duarte da Costa Reis, Fernández Gil, G. Romanoff Salvini, J. A. Saldanha Júnior, João Arroio e Óscar da Silva, com posteriores arranjos de Fernando Valente.
Mais recentemente, e esta a razão do post, musicou-a também Pedro Pinhal. Podemos ouvi-la no CD Fados de Amor (2012) de Rodrigo Costa Félix, com interpretação de Rodrigo Costa Félix e Katia Guerreiro.