Revisitar | Descobrir Guerra Junqueiro


Ecos #1

A acrescer aos e-mails, cartas, telefonemas e aos generosos “comentários” que aqui vamos registando como estímulo e com gratidão:

“Ora bem… senta-te primeiro!
Vamos filmar o lançamento do projecto Guerra Junqueiro. A Prof. Helena só me disse isto, por isso ainda não percebi muito bem do que se trata. ( …)

Ninguém pode cometer erros senão cortam-nos o pescoço!
Acho que é um dia antes de começar os olhares de Outono, ou seja, tudo ao mesmo tempo! Vamos morrer, é tudo o que tenho a dizer!”

Este foi o primeiro e-mail sobre o registo do dia 17 de Novembro.

Os nomes dos convidados assustavam-nos, o alcance do projecto também. Até esse momento conhecíamos o Fiel, cuja gestação de mais de dez meses era centro recorrente das nossas conversas. Mas havia mais: o site e o blog revelaram-nos que, além de A Música de Junqueiro, existia um documentário, um livro de entrevistas e uma fotobiografia.

A Alexandra Brites e eu, acompanhadas pela Prof. Helena Figueiredo, iniciámos os preparativos da produção do registo do evento. Listas e listas de material, quadros de operadores de câmara e fotógrafos disponíveis e horários de ensaios.

A equipa da TimeLine 2009 teria a sua estreia neste lançamento. A responsabilidade de ser aqui, na nossa “casa”, aumentava a tensão. O primeiro ensaio assustou-nos. Tínhamos de requisitar material não disponível. Eram precisas ainda mais pessoas do nosso lado. O sobe e desce entre arquivo e Ilídio Pinho crescia freneticamente.

Chegou a grande noite. Entrevistas, fotografias e mudanças de última hora. Rezávamos para que tudo corresse bem. E correu.

No meio de tanto frenesim, ainda deu tempo para apreciar o serão e assistir ao trailer do documentário, com excertos das entrevistas e ao trailer do Fiel, com comentários dos bastidores. Tratou-se do lançamento do livro A música de Junqueiro mas também de uma breve apresentação de todo o projecto – desenvolvido até ao momento.

O público riu-se com a ingenuidade dos comentários do Bando dos Gambozinos, emocionou-se com a Oração à Luz pelo EAmsemble e rendeu-se à declamação de Melro. A apresentação do projecto, pelo seu coordenador e director científico, Henrique Manuel Pereira, entre outros convidados, contribuiu para um novo olhar sobre Guerra Junqueiro, reforçado pelas diferentes sonoridades que envolveram as obras apresentadas nessa noite.

À meia-noite estávamos a guardar todos os cabos, tripés e máquinas, enquanto alguns dos convidados eram ainda entrevistados. A noite chegava ao fim. Restavam-nos sorrisos cansados, uma saca repleta de cassetes e a sala de visionamento a abarrotar de material.

Houve pequenos momentos que não ficaram registados nas câmaras, mas que permanecerão comigo.

A displicência com que me pediram para levar uma capa para o A. Luxúria Canibal. Estar à porta do auditório e chegar António Capelo, que conheço apenas de palcos e televisões. Ver a Sofia saltitar quando o reconheceu. Cruzar-me num corredor com o Rui Vieira Nery. Dar passagem a uma fila interminável de Gambozinos curiosos e irrequietos.

No dia 17 de Novembro, a equipa TimeLine 2009 lidou com a sua a inexperiência, tentando superá-la.

A Música de Junqueiro provou-nos que é possível concretizar um projecto, por mais ambicioso que seja. Basta sonhar, querer e lutar.

Susana Grilo

(aluna do 3º ano de Som e Imagem – EA)

 

Anúncios

Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: